Depois de queixas, app de inteligência artificial retoma recursos eróticos de chatbots

Kinasta Elphine
Kinasta Elphine
2 Min Read

A relação entre seres humanos e chatbots de inteligência artificial tem se tornado cada dia mais complexa. Na sexta-feira (24), a empresa Replika, cujo principal serviço é a geração de uma IA que interage com usuários de forma personalizada, precisou restaurar um recurso que permitia “flertes eróticos”.

Em uma mensagem direcionada aos clientes do app, a CEO da companhia, Eugenia Kuyda, explicou que, depois de queixas dos usuários, a empresa traria de volta o recurso que permite que seus personagens de IA exibam conteúdo adulto e se relacionem de forma amorosa.

“Para muitos de vocês, essa mudança abrupta foi incrivelmente dolorosa. A única maneira de compensar a perda que alguns de nossos usuários atuais experimentaram é devolver a eles seus parceiros exatamente como eram”, acrescentou a executiva, segundo a Business Insider.

Fim e retorno das IAs românticas
A empresa, com sede em São Francisco, havia encerrado o recurso erótico de IA depois que a revista Vice relatou que alguns usuários vinham percebendo que seus chatbots passaram de companheiros “úteis” a “insuportavelmente agressivos sexualmente”.

Durante as semanas após de mudanças, no entanto, a empresa passou a receber milhares de reclamações de usuários que se diziam devastados com o fim do uso erótico das IAs. Para eles, as mudanças feitas pelo Replika foram como o fim de seus parceiros.

Kuyda já disse anteriormente que nunca teve a intenção de criar o chatbot para ser usado como um “brinquedo adulto” e que apenas uma pequena parcela das pessoas o usava dessa forma.

A empresa permite que os usuários escolham seu relacionamento com seus Replika entre opções como “cônjuge”, “parceiro”, “amigo” e “mentor”. O chatbot está disponível desde 2016.

Share This Article